Blog
    
Sexta, 11 Janeiro 2019 23:41

Por que 29% dos LGBTs votam em Bolsonaro?




FONTE: EL PAÍS - Por: Lucas Bulgarelli

É essencial entender que há discriminação e acolhimento simultaneamente ao público entre bolsonaristas

Durante seus quase trinta anos de mandato, Jair Bolsonaro se notabilizou na Câmara dos Deputados e na imprensa por declarações como a defesa da castração química e a preferência por um filho morto a um filho gay. Há algumas semanas, um de seus filhos, Carlos Bolsonaro, republicou em seu perfil no Instagram uma imagem que simulava uma cena de tortura de um jovem gay. Em lives no Facebook, o capitão reformado subiu o tom em seus posicionamentos recentes, defendendo que desapareçam as “minorias” que não se adequem às “maiorias”.


FONTE: HORNET 

A adoção homoafetiva é possível. Sabemos que união de pessoas do mesmo sexo é reconhecida como entidade familiar com origem no vínculo afetivo. Dentro desta nova realidade os homossexuais, podem se casar, conviverem em união estável, sendo reconhecidas estas uniões como família, não havendo razão para limitar o a adoção por estes casais.

Por que autorizar a adoção por casais homossexuais?



FONTE: BBC BRASIL - Por Nathalia Passarinho

Joana e Olavo decidiram ampliar a família que já contava com 16 filhos adotivos. Eles acolheram em casa seis irmãos com idades entre 5 e 14 anos, que passarão o primeiro Natal em um lar.

Para Juan, 14 anos, Yago, 12 anos, Evelin, 10 anos, Nathan, 7 anos, Natália, 7 anos, e Ana Paula, 5 anos, este será o primeiro Natal num lar, com pai e mãe, árvore decorada, ceia e presentes. Até Papai Noel passou pela nova casa, uma semana antes do dia 25.




FONTE: REVISTA CRESCER - Por: Aline Melo 

Noeli Martins adotou Amanda e Alice, na época com 7 e 5 anos de idade, respectivamente

"Desde nova eu falava que teria quatro filhos e que um deles seria por meio da adoção. Quando casei com o João Paulo, ele compartilhava dessa ideia de adotar. Primeiro, tivemos nossa filha, Luiza. Quando ela tinha 10 anos, vimos que nossa vida já estava estabilizada e que poderiam vir outros. Entramos na fila de adoção. Colocamos que poderia ser uma criança de 2 a 7 anos, até irmãs, com doença tratável, independente de raça. Só especifiquei mesmo que queria uma menina. Um ano e oito meses depois, nos ligaram de São Paulo.


FONTE: OBSERVATÓRIO G

Canadá e Nova Zelândia foram os países considerados como os melhores locais no mundo para que um casal gay possa passar a lua-de-mel.

A constatação faz parte do ranking divulgado pelo site The Latin America Travel Company que analisou 31 países. Os lugares que figuraram no topo têm 29 pontos cada um.

FONTE: OBSERVATÓRIO G 

Após se tornar o primeiro país do mundo a proibir o casamento homoafetivo depois de torná-lo legal, Bermudas voltou atrás novamente. A Suprema Corte decidiu liberar definitivamente a união entre pessoas do mesmo sexo.

A nova legislação acontece depois de muita discussão a respeito do passo para trás dado em fevereiro de 2017. A novidade foi recebida com festa pela comunidade LGBT local, que comemorou a vitória nas redes sociais.
Página 1 de 65
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”