Blog
    
FONTE: ESTADÃO 

Continuamos com a série sobre adoção e, desta vez, contamos a história de Jeová, que depois de ser recusado por um casal heterossexual começou uma nova vida ao lado de dois pais: Andre Pralon e Gustavo Silva

Na semana passada, em razão do Dia Nacional da Adoção (25/5), o Família Plural trouxe o tema para discussão e contou a história de duas diferentes famílias. Hoje, no dia em que o blog comemora um ano de vida, damos sequência à série com um terceiro relato acerca do assunto.



FONTE: G1 

Leandro Prior falou com o G1 após vídeo não autorizado viralizar na internet. ‘95% das ameaças são de PMs’, diz policial militar que, abalado, se afastou da corporação para tratamento médico.

Há quase quatro anos, Leandro Prior conta que teve de responder a um questionário para entrar na Polícia Militar (PM) de São Paulo que perguntava sua opinião a respeito do “homossexualismo”. Disse ter respondido que “não achava nada” até porque também é “homossexual”.

Aprovado, trabalha desde então no 13º Batalhão da PM, na capital paulista. Ele atua na Força Tática por meio do Programa Vizinhança Solidária na Cracolândia, área da região central de São Paulo conhecida pelo tráfico e consumo de drogas ao ar livre.


FONTE: GZH

Demora na tramitação do processo de destituição do poder familiar é um dos principais entraves para que a ação seja concluída

O Rio Grande do Sul possui cinco mil interessados em adotar crianças e adolescentes, segundo dados do Cadastro Nacional de Adoção. Atualmente, 4.879 estão em abrigos, mas apenas 620 podem, efetivamente, ser adotados. Desses, 348 (56,13%) pertencem a grupos de irmãos. São 346 meninos e 274 meninas. Em relação às idades, os dados de crianças e adolescentes pretendidos e os aptos para adoção são antagônicos. A maioria prefere crianças de zero a cinco anos, que é a minoria na fila de adoção. Cerca de 80% de quem está liberado pela Justiça para ter um novo lar têm entre 12 e 17 anos.



FONTE: HUFF POST BRASIL 

Em 2018, nenhuma proposta que assegura direitos à gays, lésbicas, bissexuais e trans foi aprovada no Congresso Nacional.

Em 2018, comemora-se 40 anos do movimento LGBT no Brasil, mas o marco não é suficiente para que propostas que asseguram direitos à gays, lésbicas, bissexuais e pessoas trans sejam aprovadas no Congresso Nacional. São dezenas de projetos de lei, sendo 13 prioritários, de acordo com a Aliança LGBT e com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).


FONTE: REVISTA FÓRUM 

Vereador do PSC conseguiu aprovar um projeto para mudar o nome da creche que tinha sido escolhido pela comunidade local por, na sua opinião, fazer "apologia" à causa LGBT, que usa as cores do arco-íris em sua bandeira; termo usado pelo vereador - "homossexualismo" - caiu em desuso e é considerado ofensivo para homossexuais.

Vem causando revolta entre a população de Palmas (TO) e internautas nas redes socais a mudança do nome de uma creche anunciada pela prefeitura. A Creche Arco-íris, uma das seis novas unidades de educação infantil que ainda estão em construção, passará a se chamar Romilda Budke Guarda. O antigo nome havia sido escolhido pela comunidade local. O novo nome, por sua vez, foi publicado no último dia 9 de julho no Diário Oficial do Município.




FONTE: DIÁRIO DO AMAZONAS

Projeto ‘Encontrar Alguém’ busca ampliar chances de adoção de crianças e adolescentes que vivem acolhidos e se enquadram num perfil considerado de difícil colocação em família substituta

Manaus – Jovens acolhidos em dez abrigos de Manaus serão protagonistas de campanhas do Projeto ‘Encontrar Alguém’, lançado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), na terça-feira (3), de incentivo à adoção tardia. Atualmente, 37 crianças e adolescentes que se enquadram no perfil do projeto, na capital amazonense, estão aptos a adoção.

Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”