Adoção
    

Adoção

Segundo a advogada especializada em Direito Homoafetivo, Direito das Famílias e Sucessões, há no Brasil uma absoluta desatenção por parte do Poder Judiciário, do Estado e da sociedade em relação às crianças que foram afastadas de sua família. “Estas crianças são depositadas em abrigos e se tornam invisíveis”.

Maria Berenice destacou que a lei brasileira, de forma equivocada, prioriza o vínculo biológico na tentativa de manter os filhos sob a guarda dos pais ou dos parentes que constituem a chamada família estendida. Na avaliação da primeira Desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul e a primeira mulher a ingressar na magistratura gaúcha, as sucessivas alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente e a falta de sensibilidade de alguns juízes e promotores acabam praticamente por inviabilizar a adoção. “O intuito de proteger acaba por burocratizar de tal forma os sucessivos e morosos procedimentos, que a adoção se torna um verdadeiro calvário”, acentuou.

Segunda, 20 Novembro 2017 15:53

Adoção tardia e as cicatrizes emocionais

Infelizmente a adoção ainda é cercada de muito preconceito. A adoção tardia mais ainda. A “genética ruim”, os traumas sofridos e as dificuldades de adaptação são os medos mais citados por quem pensa em adotar uma criança maior de três anos de idade. No meio de tudo isso existem mitos e verdades, vamos tentar organizar melhor estas dúvidas.

Um dos receios quando se fala em adoção tardia é o trauma que a criança pode carregar. Sim, a criança tem memórias dolorosas de experiências ruins que possa ter vivido. Ela passou por rejeições e abandonos gerando marcas profundas e irreversíveis, como se fossem cicatrizes emocionais. Por outro lado, essas crianças possuem uma enorme capacidade de lidar com problemas e conviver com essas tais cicatrizes. Ainda mais quando elas encontram pais pacientes, amorosos e flexíveis que sejam capazes de ouvi-las, acolhe-las e mostrar-lhes um mundo novo, bem diferente daquele que elas conhecem.

Criado por um casal de São Paulo que realizou o sonho de se tornar pais através da adoção, o aplicativo é mais um canal de comunicação que tem como objetivo unificar informações da adoção no Brasil, desmistificar o tema, compartilhar histórias e trocar experiências. "Temos certeza que com o engajamento de todos a Adoção Brasil será não só um grupo de apoio virtual mas sim uma família.

Segunda, 20 Novembro 2017 15:53

Adoção tardia: uma conta que não fecha

Por traz da magia envolve o Natal e sua Véspera, 24 de dezembro traz o Dia do Órfão - que agrega uma triste realidade! Segundo informações da UNICEF, mais de 3,7 milhões de crianças brasileiras são órfãs de pai ou mãe. Fato que coloca o Brasil na nona posição entre os países em desenvolvimento com o maior número de órfãos no mundo. Por outro lado, apenas 6.585 crianças estão disponíveis para adoção no país. Desses 89% se encaixam na chamada adoção tardia, considerada a partir dos três anos de idade. Dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA).

Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”