Artigos
    

Artigos

Sábado, 13 Janeiro 2018 19:51

Criança institucionalizada

Por: Shirley Machado
 
Já ouviu falar? Não? Como tudo na vida tem um outro lado, que também precisa ser conhecido, vamos continuar refletindo a respeito.
 
Você sabia que, quando uma criança é encaminhada a uma casa de acolhimento, ela perde TUDO? Perde a única referência de família e afeto que teve na vida. Certa ou errada, aquela família era só o que a criança tinha. Boa ou má, não havia outra. E isso se perde, de uma hora para outra.
Sexta, 22 Dezembro 2017 15:01

Projeto do Coração

A vida realmente nos reserva muitas surpresas. Quando decidi adotar, por conta de sempre querer ser pai e de poder também ajudar aqueles que estão sem chance de ter um eu não tinha ideia do que sentiria.

No início, me deparei com toda uma documentação a ser apresentada, até atestado médico de saúde e de uma psicóloga tive de apresentar e após algumas entrevistas com uma assistente social e um psicólogo, tanto no Fórum como em minha residência, após um curso de meio período sobre adoção, me submeti ao preenchimento de uma lista, a qual constava todas as características físicas de uma pessoa e naquele momento na verdade eu me via ali como se estivesse escolhendo um filho que estaria por vir. De início eu queria uma criança branca, menino e com até no máximo seis anos de idade.

 

Família não é só homem, mulher e filho. Família pode ser feita com homem com homem e mulher com mulher.

O importante é amar as pessoas que estão ao seu redor, pois o que vale é você amá-las, respeitá-las e o mais importante, ter confiança, é isso que é uma família.



A minha família é feita com os meus pais Claus Peter O Willi, Hélio Yoshinori Eto e Wesley Marlon Eto Willi. Essa pode não ser a melhor família do mundo mas é a minha família e eu a amo.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:23

A Chegada de Teodoro

Eu, Saulo Amorim, e meu marido, Renan Sanandres nos conhecemos no princípio de 2005!

Nos conhecemos pela internet e nos apaixonamos à primeira vista. Desde o primeiro encontro, nunca estivemos longe um do outro por mais de uma semana!

Namoramos por cinco anos até decidirmos pela consolidação de nossa família.

Em 2010 formalizamos a união estável em cartório e decidimos denominá-la de noivado, porque almejávamos poder convertê-la em casamento tão logo fosse possível.

Página 1 de 9
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”