Diversidade
    

Diversidade


FONTE: HUFFPOST - Por: Romulo Rodrigues de Carvalho

Giowana Cambrone é uma mulher encantadora e com uma incrível história a compartilhar.

Transexual, ativista dos movimentos LGBT, advogada, professora de Direito de Família e mestranda em Políticas Públicas e Formação Humana pela UERJ, Giowana participou da coordenação do elo estadual da Rede Sustentabilidade do Rio de Janeiro e foi peça-chave na preparação do programa de governo da aliança PSB-Rede.

Em entrevista ao blog, ela nos contou um pouco sobre sua experiência pessoal, a sociedade hetero-cis-normativa e esclareceu posições da Rede em relação a minorias sexuais.

Giowana também explicou o que de fato ocorreu no polêmico episódio da edição do programa de governo de Marina Silva nas eleições de 2014.

FONTE: EXAME - Por Júlia Lewgoy
O Unicorns Brazil reúne cerca de 150 pessoas para praticar futebol, corrida e treino funcional no Parque Ibirabuera

Há três anos, o Unicorns Brazil se formou com amigos gays que se reuniam para jogar bola. “Faltava um espaço onde eu me sentisse bem e não precisasse esconder quem eu era dentro de campo”, conta o advogado Filipe Marquezin, cofundador do Unicorns.

Desafiar a homofobia não era um objetivo claro, mas se tornou natural. “Heterossexuais são bem-vindos, mas esse é o nosso espaço. Estamos em um momento de mudança e, enquanto não pudermos ser quem somos em todos os lugares, é hora de marcar território”, diz o diretor de arte Bruno Host, cofundador do Unicorns.
 
Já são 37 os pré-candidatos (as) nas eleições deste ano que já responderam às perguntas do levantamento concebido pela Aliança Nacional LGBTI para aferir a adesão dos postulantes à causa e identificar quem de fato se compromete com as bandeiras do movimento em caso de vitória. Qualquer pré-candidato pode acessar o formulário e participar do trabalho. Veja abaixo a lista dos candidatos que já responderam, bem como o partido, o estado e a identificação sexual de cada um deles, entre outras informações.
FONTE: SEMEAR DIVERSIDADE - Por: Ana Lodi
Uma adolescente de 15 anos que cursa o 1º ano do Ensino Médio na UNIVEST, instituição de ensino particular de Lages, na Serra Catarinense, foi suspensa por dois dias após criticar publicamente o posicionamento do colégio em relação a assuntos de gênero, ativismo e religião. Uma colega sua teve, inclusive, a matrícula com bolsa vetada para 2018. O ofício circular entregue aos alunos nesta semana diz que “em casa se aprende a ser organizado, a não mexer nas coisas dos outros, a respeitar regras e a amar o próximo”, e na escola “os professores devem ensinar disciplinas como matemática e português”. Mas o ponto mais polêmico foi mencionar que na escola não se aprende sobre “sexo, ideologia de gênero, ativismo LGBT, comunismo, esquerdismo e religião”. A menina ousou divulgar e criticar em rede social o panfleto da instituição. A jovem foi chamada à coordenação da escola e avisada de que receberia punição por "denegrir a imagem do colégio nas redes sociais" e, sobre a aluna que perdeu a bolsa de estudo, limitou-se a dizer que “toda ação tem uma consequência”.

Por que a diversidade assusta tanto aos conservadores?
Página 4 de 7
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”