Blog
    




FONTE: EL PAÍS

O texto publicado no Facebook pelo arquiteto Deberth Araújo foi compartilhado 90.000 vezes

Na primeira vez que Deberth Araújo, um arquiteto do Rio Grande do Norte, conversou com quem acabaria sendo seu namorado e noivo, Guilherme Gatto, o casal falou da vontade de ter filhos. "Guilherme adora crianças, faz trabalho voluntário com crianças, é o herói dos seus sobrinhos e sempre quis ser pai", explica Deberth à Verne. Com o tempo, aquela conversa virou um projeto. "Enquanto nossa relação se fortalecia, fomos nos preparando financeira e emocionalmente para construir uma família", lembra Guilherme. E, algumas semanas atrás, o projeto se tornou realidade. O casal tem em casa um bebê adotado, William. Com algo mais: Deberth e Guilherme são, agora, os pais do mesmo sexo mais famosos do Brasil.


FONTE: ISTOÉ

O bebê de um casal homossexual foi registrado no último sábado (28) em um cartório de Roma, na Itália, e se tornou o primeiro caso da história na “cidade eterna”.

Segundo o advogado do caso, Alexander Schuster, a filha do casal foi gerada por uma mulher por meio da “maternidade de substituição”, também chamada de “contrato de gestação”, conhecido como “barriga de aluguel”.

Neste mês, outros dois casais homossexuais conseguiram registrar seus filhos na Itália. Um deles foi Chiara Foglietta, vereadora do Partido Democrático(PD) e sua companheira, Micaela Ghisleni, que conseguiram aprovação das autoridades de Turim. Já o outro casal é da cidade de Gabicce, na região central da Itália.

FONTE: PAI MODERNO

Desde pequeno, o sonho do britânico Benjamin Carpenter, de 33 anos, era de ser pai. E ele não esperou encontrar alguém para por em prática seu desejo e, sozinho, adotou quatro crianças especiais.

Mas o caminho não foi fácil. Benjamin teve que esperar cerca de três anos para adotar seu primeiro filho, Jack, que tem autismo e TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), há 10 anos. Isso porque precisou convencer as autoridades inglesas de que ele encarava a adoção como algo sério.

Depois desse tempo todo, ganhou a guarda do pequeno e se tornou um dos homens gays mais novos a adotar uma criança no país.
Domingo, 20 Maio 2018 16:57

Quem pensa nas crianças homossexuais?




FONTE: CP - Por: Guilherme Boneto

Quando o tema em debate é a ampliação dos direitos das pessoas LGBT, os conservadores de costumes sempre argumentam que é preciso “pensar nas crianças”. Em sua desinformação ou desonestidade intelectual, acreditam ou pregam que qualquer expressão de sexualidade que não seja a heterossexual é “imoral”, e assim sendo, deve restringir-se a ambientes privados. Alguns querem, inclusive, que seja proibida pelo ordenamento jurídico. Um dos argumentos centrais para defender o indefensável: as crianças não podem conviver com isso.

Direi eu, neste precioso espaço, com o que as crianças não podem conviver. No entanto, embora concorde que é preciso refletir sobre o bem-estar infantil, apresentarei (ufa!) ponto de vista diferente.




FONTE: BAHIA NOTICIAS

A campanha “Sim ao Amor” do Ministério Público baiano (MP-BA) irá promover um casamento coletivo LGBT em Salvador no próximo 28 de junho. A iniciativa pretende promover o reconhecimento social e judicial das uniões homoafetivas na capital baiana, com a realização de matrimônios civis de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, transgêneros e travestis na cidade. Os casais interessados podem procurar o MP-BA para realizar a habilitação do casamento, comparecendo ao Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher e da População LGBT (Gedem), localizado na Rua Arquimedes Gonçalves, Jardim Baiano. Para selar o casamento, porém, é necessário cumprir algumas exigências. Os noivos ou noivas devem residir em Salvador, precisam estar acompanhados de duas testemunhas maiores de 18 anos e possuir documentação de identificação originais com cópias autenticadas. A cerimônia acontece depois do primeiro casamento coletivo LGTB da Bahia, realizado na cidade de Santo Amaro em 2016. Na oportunidade, três casais celebraram a união civil. Já a primeira união legal homoafetiva aconteceu em 2014 na cidade de Itabuna. O “Sim ao Amor” é uma iniciativa do Gedem e do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (Gedhis). Ele conta o apoio de várias instituições, como a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA), Comarca de Salvador, Grupo Gay da Bahia, Grupo Enlace, Grupo Família pela Diversidade e Cartório de Nazaré.




FONTE: BBC

"Eu realmente aprecio o fato de que, na minha idade, posso ser totalmente livre com as pessoas. Acho que corro um pouco o risco de me tornar um ícone gay!", diz Barbara Hosking, que decidiu assumir sua homossexualidade aos 91 anos, em meio a suas reflexões sobre sua vida nos corredores do poder.

Como funcionária pública, a inglesa trabalhou para dois primeiros-ministros britânicos, Edward Heath (1970-74) e Harold Wilson (1964-70 e 1974-76), e também foi uma executiva de televisão.

Página 1 de 29
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”