Blog
    
Segunda, 20 Novembro 2017 16:20

Um sonho que se realizou

Sempre fico pensando como o avanço da tecnologia – em especial às mídias eletrônicas – são instrumentos maravilhosos. Ideias, sonhos, informações, trocas, acontecem num espaço de tempo que para mim – um verdadeiro cyber alfabetizado funcional – é verdadeira maravilha.

Quando da criação do site www.viveramornafamilia.com a ideia básica era a de trazer informações e experiências que particularmente fui acumulando ao longo deste período em que estou mergulhado no universo da adoção, das novas formações familiares, do andamento da legislação à respeito, etc. Nada melhor como a informação para desmistificar questões e desconstruir inúmeros preconceitos que ainda atrasam esta nossa caminhada.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:20

Sapatos velhos

Talvez pela nostalgia que a proximidade do Dias dos Pais traz, me pego olhando fotografias antigas. Sou do tempo em que se fotografava, mandava-se revelar e aguardávamos ansiosos para ver como tinham ficado. Volta e meia pego uma ou outra foto e viajo para aquele mundo de sorrisos, aventuras e boas lembranças.
Hoje vivemos no mundo da selfie, do instagram e emoções instantâneas que se sobrepoem umas às outras, não se “degustam” mais os sentimentos. Ele voam ligeiros!
Uma das últimas fotos que tenho do meu pai foi tirada poucos meses antes do seu desencarne. Foi tirada em sua última viagem à Europa como que numa despedida.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:20

Respeito e acolhimento

Desde a criação de nosso site tenho recebido inúmeras manifestações de carinho, mensagens de apoio e muitas, muitas outras descrevendo as experiências de cada um neste Universo da adoção e das novas constituições familiares.

Reproduzo abaixo – nomes e local alterados – que representa bem um certo descaso com que muitos de nós são tratados socialmente em função da nossa orientação sexual bem como por funcionários dos Setores Técnicos – ressalvando-se honrosas exceções - não preparados e/ou comprometidos com a questão.

Fica aquí o convite para que entrem em contato conosco. Conte sua história e/ ou experiência e nos ajude a passar cada vez mais, melhores informações à quem nos acompanha.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:19

Aquele abraço

Quando conheci meu filho mais velho o seu abraço foi o que mais me chamou a atenção. Aliás, vários amigos quando o conheceram disseram o mesmo. Era como que seu cartão de visitas.

Não era um abraço protocolar e qualquer destes que estamos acostumados a dar com o olhar vazio, frio e no infinito por cima dos ombro, rápido e quase sem nenhum contato fisico.

Quando ele abraçava era como se falasse direto à alma. Um abraço forte, carinhoso, com muita energia do tipo que circula pelo corpo todo voando direto ao coração numa carga poderosa de energia.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:19

Família real

Em tempos de discussão de Estatuto da Família sobre o que é ou o que deixa de ser uma família, percebo em todas as falas daqueles que apregoam do alto de tribunas e / ou púlpitos, a falta de conceitos tais como:

afeto, carinho, amor, abraços, sorrisos e por aí afora. Tudo muito árido, técnico, frio e impessoal.

Pensando nisto voltei às minhas memórias remotas dos tempos de primeira infância lembrando da nossa casa ali no bairro de Jabaquara na capital em São Paulo. Era um sobrado de esquina bem próximo da cabeceira do aeroporto de Congonhas. Lembro que um dia um avião não parou no final da pista e foi um alvoroço no bairro. Nem sei o que aconteceu, se gente morreu ou não. Certa feita um cavalo que puxava uma carroça foi atropelado por um carro e nós corremos a espiar pela janela, mas minha avó botou todos nós de castigo. Criança pequena não era para ficar vendo barbaridade.

Minha avó! Vinda de Paulista – Pernambuco nos tempos de guerra! Divorciada!!! Um escândalo. Mulher forte, filha de usineiros, mas isto é outra história.

Segunda, 20 Novembro 2017 16:19

Os filhos do amor entre iguais

A faculdade legal da adoção por uma só pessoa, independentemente de estado civil, é que permitiu aos parceiros homossexuais constituírem família com filhos. Era uma solução faz de conta. O par decidia pela constituição da família, mas só um se habilitava, não revelando sua orientação sexual. Também ninguém perguntava. Ou seja, a avaliação era mal feita, pois feita pela metade.

A adoção era deferida a um dos parceiros, mas o filho acabava tendo dois pais ou duas mães. Tal subterfúgio contornava a proibição legal que, de forma categórica, restringia a adoção por duas pessoas aos casados ou a quem convivesse em união estável.

Apesar de conviver com o par, ter dois pais ou duas mães, o filho restava completamente desprotegido com relação a quem não o havia adotado formalmente. Essa hipócrita postura protetiva resultava em total inversão de propósitos, pois acabava por deixar o filho em situação de vulnerabilidade.

Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”