Direitos
    
Super User

Super User



FONTE: O GLOBO 

Temor de que casamento entre pessoas do mesmo sexo seja proibido pelo próximo governo leva gays aos cartórios

RIO- Parte da comunidade LGBTI teme que, com a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), direitos já conquistados pelos gays no Brasil sejam perdidos. Um deles, o casamento homoafetivo, está assegurado desde 2013 por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), após entendimento em defesa da igualdade dado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011.


FONTE: JN

Em um ano, quatro crianças e pré-adolescentes foram adotados. Mais da metade dos meninos e meninas que esperam adoção já passaram desta idade.

Neste 12 de outubro, o repórter Roberto Kovalick mostra a importância de uma campanha da Justiça de São Paulo, que começou há um ano. O objetivo é estimular a adoção de crianças mais velhas.

FONTE: G1

Decisão foi tomada após eles fazerem um trabalho voluntário em abrigo e apadrinhar as crianças. Em Goiás, existem 1,4 mil pessoas que esperam na fila de adoção.

Um casal que já tinha três filhos resolveu adotar outras três crianças - todas irmãs - em um abrigo de Goiânia. O empresário Wesley Raimundo Lopes e a esposa, a dona de casa Helenice Araújo Souza Lopes, tiveram contatos com os futuros filhos adotivos quando faziam um trabalho voluntário no local. Hoje, comemoram a união de uma grande família.

FONTE: OBSERVATÓRIO G 

Jovens profissionais lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vivem um paradoxo no ambiente corporativo. A quarta edição da pesquisa Out @ Work Barometer – The Paradox of LGBT+ Talent, realizada pelo The Boston Consulting Group (BCG) em 12 países, inclusive o Brasil, mostra que 80% dos estudantes e recém-formados da comunidade LGBT+ estão prontos para assumir sua orientação sexual no trabalho, caso a oportunidade adequada se apresente. No entanto, apenas metade deles é de fato assumida. Para chegar a essas conclusões, o BCG ouviu mais de 4 mil pessoas com até 35 anos de julho a setembro – sendo o Brasil o país com a maior amostra, com 1.318 questionários respondidos.



FONTE: TNH1 

Seguindo a tendência de eleições anteriores de meio de mandato presidencial, o partido da oposição recuperou a maioria das cadeiras da Câmara dos Representantes na madrugada desta quarta (7) nos Estados Unidos. Até as 4h40, 00h40 na costa leste dos EUA, os democratas haviam ganhado 24 lugares na casa, segundo o The New York Times –eles precisavam de 23 para retomar o controle. O placar era de 206 contra 188 republicanos. Todos os 435 assentos da Câmara estavam em jogo.




FONTE: O POVO 

Durante audiência pública realizada nesta sexta-feira, entidades relacionaram o alto número de crianças esperando em abrigos a problemas institucionais, como falta de servidores especializados

Entidades que lutam pela causa da adoção criticaram o “senso comum” que relaciona as exigências de quem quer adotar uma criança à longa espera que elas precisam se submeter para conclusão do processo. Carências de servidores e desrespeitos aos prazos estabelecidos pela legislação vigente foram algumas das críticas tecidas na ocasião.


FONTE: CONJUR

O fato de uma criança morar com pai adotivo antes de a adoção ser oficializada não impede direito à licença-paternidade. Assim entendeu a 5ª Câmara do TRT-SC ao conceder indenização a um pai adotivo que teve negada a licença sob o argumento de que ele já residia com a criança, seu enteado, antes da adoção.

No caso, homem teve o pedido de adoção de seu enteado autorizado e pediu a licença, que foi negado.




FONTE: CMT 

As crianças podem ter o nome e o sobrenome alterados nos cadastros antes mesmo da emissão da sentença do juiz que concede a guarda definitiva à família

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) sancionou a lei nº 6.312, de autoria do vereador Marcelo Bussiki (PSB), que permite que crianças e adolescentes que estiverem sob a guarda provisória de família adotiva passem a usar o nome afetivo em cadastros de instituições escolares e de saúde de Cuiabá.


FONTE: FORQUILHINHA NOTICIAS 

O processo de adoção é um momento delicado para todos os envolvidos e além das questões legais, existe o elemento emocional. Como forma de tornar o judiciário ainda mais humanizado, além de cumprir as questões legais, a comarca de Criciúma iniciou em agosto um grupo de acompanhamento para os adotantes de crianças maiores de dois anos, que estejam es estágio de convivência.


FONTE: UOL

Germana nasceu surda após a mãe adquirir rubéola na gestação. Já Leonardo teve meningite aos seis meses de vida, gerando danos à audição

Germana Araújo, de 32 anos, e Leonardo Rodrigues, 29 anos, têm na rotina diária uma relação de afeto e cumplicidade. Com três anos de casados, o desejo pela chegada de um filho alimentava os sonhos dos dois. O tempo passou, mas a gravidez não aconteceu. A vontade pessoal deles de criar uma criança, porém, ganhou um novo capítulo no final de 2016.
Página 1 de 40
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”