Direitos
    
Super User

Super User




Fonte : Abril 

Em um cartório no coração de São Paulo, os casamentos LGBT em dezembro cresceram em relação aos meses anteriores

São Paulo – Depois de 15 anos juntos, o gestor de redes sociais Marcelo Serrano e o designer Wellington Pereti decidiram oficializar sua união, prevista para o final de 2019, mas antecipada em um ano pelo temor de um “retrocesso” nos direitos LGBTI no Brasil após a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro.


Fonte : Uol

Escócia torna obrigatório ensino sobre pessoas LGBT+ nas escolas públicas

Governo considera iniciativa, pioneira no mundo, uma forma de combater LGBTfobia

A Escócia aprovou a obrigatoriedade do ensino nas escolas públicas de temas sobre pessoas LGBT+, em uma tentativa de combater a homofobia e a discriminação. O país britânico é o primeiro do mundo a tornar compulsória este tipo de matéria na educação básica.





Fonte : Justificando

“Os meus, os seus e os nossos” a possibilidade de casais homoafetivos de realizarem o sonho de ter filhos é possível desde o ano de 2015, quando o Conselho Federal de Medicina, por meio de resolução, permitiu a fertilização in vitro, também conhecida por reprodução humana assistida.

A burocracia no processo de adoção e o desejo em gerar um filho têm feito crescer a procura de casais homoafetivos por clínicas particulares especializadas em fertilização. O procedimento também é oferecido pelo SUS, contudo poucas cidades contam com esse benefício.

Sábado, 26 Janeiro 2019 18:06

Adoção por casais homoafetivos no Brasil


Fonte : Projeto redação

Ainda vivemos em um país estruturado e politizado por conceitos tradicionais e primitivos. Na maioria das vezes esses conceitos são vistos como padrões, nos quais, quem se afasta deles inevitavelmente passa por uma série de preconceitos pré-estabelecidos e muitas vezes naturalizados.

Por muito tempo predominou-se pelo mundo o conceito de “Família Tradicional” que deveria ser formada por um homem e uma mulher, e que esta mulher, deveria ser responsável unicamente por gerar filhos e realizar tarefas domésticas.

Fonte : Clicrbs - Por: Denise Oliveira Cezar

"Enquanto 88% delas têm mais de 11 anos de idade, 90% dos habilitados desejam crianças com menos de seis"

jurisdição da infância e da juventude, entre todas as atribuídas aos juízes estaduais, é a que mais causa felicidades e frustrações, promovendo uma verdadeira gangorra emocional no magistrado. Exemplifico.




Fonte : Campo Grande News - Por: Thailla Torres

Na contramão do medo e da rejeição, casal adotou quatro crianças porque sabe que família é muito mais do que laços sanguíneos.

Quando Kelly Casarini, de 38 anos, revela que foi mãe pela primeira vez aos 30 e, que um dos filhos já alcançou a maioridade, muita gente fica surpresa. Entre olhares e questionamentos, a mãe revela que quatro filhos chegaram por adoção, mas hoje sua maior alegria é ver a felicidade de quem parece ter nascido junto e já planeja morar ao lado do irmão.




FONTE: Folha de S.Paulo 

Decisões do STF e do CNJ garantem a união homoafetiva no país

Com a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República, alguns casais gays decidiram antecipar o casamento por receio de que o direito à união homoafetiva seja revertido no país. Embora não tenha feito disso sua pauta de campanha, o presidente eleito já deu diversas declarações consideradas ofensivas à população LGBT.

Sexta, 11 Janeiro 2019 23:41

Por que 29% dos LGBTs votam em Bolsonaro?




FONTE: EL PAÍS - Por: Lucas Bulgarelli

É essencial entender que há discriminação e acolhimento simultaneamente ao público entre bolsonaristas

Durante seus quase trinta anos de mandato, Jair Bolsonaro se notabilizou na Câmara dos Deputados e na imprensa por declarações como a defesa da castração química e a preferência por um filho morto a um filho gay. Há algumas semanas, um de seus filhos, Carlos Bolsonaro, republicou em seu perfil no Instagram uma imagem que simulava uma cena de tortura de um jovem gay. Em lives no Facebook, o capitão reformado subiu o tom em seus posicionamentos recentes, defendendo que desapareçam as “minorias” que não se adequem às “maiorias”.


FONTE: HORNET 

A adoção homoafetiva é possível. Sabemos que união de pessoas do mesmo sexo é reconhecida como entidade familiar com origem no vínculo afetivo. Dentro desta nova realidade os homossexuais, podem se casar, conviverem em união estável, sendo reconhecidas estas uniões como família, não havendo razão para limitar o a adoção por estes casais.

Por que autorizar a adoção por casais homossexuais?



FONTE: BBC BRASIL - Por Nathalia Passarinho

Joana e Olavo decidiram ampliar a família que já contava com 16 filhos adotivos. Eles acolheram em casa seis irmãos com idades entre 5 e 14 anos, que passarão o primeiro Natal em um lar.

Para Juan, 14 anos, Yago, 12 anos, Evelin, 10 anos, Nathan, 7 anos, Natália, 7 anos, e Ana Paula, 5 anos, este será o primeiro Natal num lar, com pai e mãe, árvore decorada, ceia e presentes. Até Papai Noel passou pela nova casa, uma semana antes do dia 25.

Página 1 de 43
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”