Nossa história
    
Sexta, 10 Novembro 2017 23:32

Navegar é preciso!

A vida – já ouvimos e lemos por tantas vezes – não é estanque. Ela segue seu curso e cabe-nos a percepção de como participar – de forma ativa – no mesmo.

Ao iniciar estas linhas lembro-me do verso acima que exemplifica exatamente esta questão.

Precisamos navegar, descobrir, buscar rumos e alternativas! Precisamos viver na plenitude da palavra!!!

Precisamos crescer. A cada existência recebemos uma nova oportunidade!!! Uma nova chance de alcançar – utilizando-nos de nossos erros e acertos pretéritos – um degrau à mais!!! Um passo além!!!

Há algumas décadas e numa manhã fria de abril no porto de Gênova alguns adeuses envoltos em lágrimas e incertezas me viram subir em um navio que nos traria – minha mãe menina e eu – rumo ao Brasil. Fim de um capítulo de uma história há muito iniciada exatamente no país ao qual nos preparávamos para retornar.

País que na segunda década do séc. XX recebeu meu avô materno em busca de novos horizontes.

Aqui aprendi um novo idioma, novos hábitos, novos colos e novos rostos. A desconfiança de uma terra estranha foi amainando de pouco em pouco dando lugar a uma infância feliz. Aqui cresci, amei, realizei, casei, descasei e tornei a casar. Construí sonhos e castelos. Descaminhos entre paixões e ilusões. Acreditei na força do metal. Sofri pela cobrança do mesmo.

Amigos e amores fomos construindo. Nos expomos e fomos expostos. Choramos em silêncio algumas vezes ante a crueldade dos que ainda não aceitam a vida em suas diversas facetas e manifestações. Vislumbramos luzes e dores. Ganhamos sempre mesmo quando perdemos.

Alguns acertos – tenho certeza - e outros tantos erros. Depois tive meu primeiro filho seguido do segundo dois anos depois.

A vida que me veio em abundância tentei retornar aos que estão aos meus cuidados. Terei apenas um breve espaço de tempo com eles pois não os ví bebês mas os recebi já crescidos. Suas carências conheci! Suas tristezas, lágrimas e revoltas procurei entender. Afinal, eram as minhas também.
Mesmo antes do nascimento deles em nossos corações começamos a conhecer o Universo dos que esperam por uma família e as diversas dificuldades que enfrentam até que as encontrem.

Aprendemos muito sobre todo tipo de preconceito que estas crianças e adolescentes sofrem e nos sonhos que desaparecem à medida que vão crescendo e suas chances de uma família diminuem.

Agregamos pessoas que acompanharam esta nossa trajetória e com muito carinho o site Viver Amor na Família foi criado e com ele uma amplo espaço se abriu.

Agora a partida para a Europa encerra uma fase e abre-se outra. Outras necessidades, outras notícias, outro olhar!

Permanece a preocupação com o ser humano, com as crianças, com o amor negado e recolhido, como o amor que um dia não ousou dizer o nome.
Nossa família parte para uma outra construção. Possamos ter o relativo êxito que aqui tivemos nesta parte tão bela do mundo aonde o calor humano prevalece ainda.

Estamos agora há poucos tempos de refazer o caminho de volta. Volta para o país do qual um dia a mãe menina partiu comigo nos braços incertezas no coração. Não digo que não as trago. Estaria mentindo.

Levo comigo a certeza de que navegar é preciso. Preciso levar aos que estão sob meus cuidados esperanças no olhar. Conhecer terras distantes e novas. Conhecer outros conceitos. Experimentar e tentar. Crescer e sorrir. Plantar e ter uma colheita em abundância.

Precisamos navegar! Precisamos conhecer e experimentar! Precisamos viver!Tempos de mudanças e adaptações! Tempos de testes e provas! Estamos juntos como sempre estivemos! De uma certa forma não era para estarmos aqui.Todos tivemos que nos impor e buscar nossos espaços com os cotovelos por vezes. Buscamos a plenitude. Limitações nunca mais.

Talvez este seja o prefácio de um livro há muito sonhado e nunca escrito. Talvez seja esta uma página que se vira e encontra o próximo capítulo.
Agora é chegado o tempo. Estamos prontos!!!! Boa viagem!!!

Por: Claus-Peter O. Willi

Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”