Sobre nós
    
Sexta, 10 Novembro 2017 23:30

Qual o significado de ser pai?

O Jornal Terceira Visão de Valinhos comemora o Dia dos Pais na quebra da barreira de discriminações

É na sociedade atual que se vê cada vez mais liberdade para que indivíduos se expressem com menos medo de que sejam feitas discriminações, mesmo que o preconceito esteja presente no cotidiano, inibindo traços de personalidade somente por receio de reações alheias.

Na semana do Dia dos Pais, que é representada pelo próximo domingo, dia 9, o Jornal Terceira Visão procurou dar ênfase a um dos principais focos de discursos de ódio e fóbicos, em gancho à própria data: casais homossexuais masculinos com filhos adotivos, ou seja, dois pais, ao invés de um. Este tipo de situação, que se torna cada vez mais comum, demonstra a grande difusão que há de termos como “família” ou “pai” na mentalidade contemporânea.

O professor de alemão Claus Peter O. Willi e o servidor público municipal Hélio Yoshinori Eto, que estão juntos há 25 anos e são casados desde 2012, são dois homens que são pais de duas crianças, Wesley e Fabioni, e orgulham-se de suas vidas e enfatizam grande felicidade e, como dizem, “amor incondicional” pelos filhos. Paulistas, moram em Itu há 15 anos, e afirma que suas vidas foram discretas até a adoção do primeiro filho, levando em conta as frequentes discriminações públicas pelas quais passavam, sendo considerados doentes e/ou anormais por muitos. Mesmo assim, Hélio e Claus consideram-se um casal como outro qualquer, a não ser pela questão social.

Sexta, 10 Novembro 2017 23:29

Filho do coração

Por Fernanda Oliva
Fotos Flávio Torres

Apenas 18% das pessoas que buscam a adoção aceitam crianças acima de quatro anos. Nos abrigos, os mais velhos são abandonados à própria sorte até completarem 18 anos e serem entregues ao mundo. Conheça a seguir a emocionante história de Claus-Peter Willi e seu companheiro Hélio Yoshinoro Eto, moradores de Itu e que adotaram dois garotos, primeiro Wesley que na época tinha 11 anos e depois Fabioni, com 13 anos. Eles quebraram a barreira do preconceito e provam que amor não tem idade, cor ou orientação sexual.

“Eu sou Wesley, tenho hoje 16 anos e gostaria de compartilhar minha experiência de vida. Tudo começou quando me tiraram da minha mãe, deste dia em diante, sabia que minha vida não seria a mesma, pois iria viver longe dela.

Em tempos de Projetos que tramitam no Congresso como o Estatuto da Família, tentando impedir a adoção por casais homoafetivos e restringir o conceito de família, apenas formado por um homem e uma mulher, a justiça diariamente legitima decisões favorecendo vários tipos de famílias.

O último grande passo da justiça brasileira nos direitos homossexuais foi dado em 2011, quando o STF julgou a legalidade da união estável entre duas pessoas do mesmo sexo como entidade familiar, com direitos e deveres iguais aos da união estável heterossexual.

Em decisão histórica e inédita, a ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, reconheceu o direito de um casal homossexual de adotar uma criança sendo a primeira vez que o STF se posiciona favoravelmente sobre o assunto.

Página 2 de 2
Viver amor na família

O amor que nos une, nos torna uma família.

FAMÍLIA
Lei nº 12.010 de 2009 - Artigo 25 : "Entende-se por família extensa ou ampliada aquela que se estende para além da unidade pais e filhos ou da unidade do casal, formada por parentes próximos com os quais a criança ou adolescente convive e mantém vínculos de afinidade e afetividade." (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)

“Na estação da vida fomos atraídos pelo vagão do destino que nos levou para uma maravilhosa viagem de encontro ao amor.”